segunda-feira, 4 de abril de 2011

21 anos do Centro Calabrese do Rio Grande do Sul

                                     AGORA A FESTA É DOS NOSSOS AMIGOS DO CENTRO CALABRESE DO RIO GRANDE DO SUL E DO MEMORIAL DA CÂMARA DE VEREADORES DE PORTO ALEGRE!!!
                                     SOMOS TODOS CONVIDADOS A PARTICIPAR


Obs. Se você recebeu o CONVITE para ABERTURA do Evento pelo correio eletrônico, por favor imprima, pois ele poderá ser solicitado. 





 Um pouco da História da Imigração Calabresa do Rio Grande dos Sul
Texto de Rosa Rosito



            Entre 1815 e 1914 a população européia que durante séculos mantivera baixas taxas de crescimento demográfico, passou de 180 para 450 milhões de habitantes. Cerca de 40 milhões de pessoas deixaram nesse período seus lares, optando pela vida em outros continentes, onde 85%  rumou para as Américas. Nessa época, a Europa enfrentava superpopulação, doenças endêmicas, fome, guerras e desemprego.
            A entrada em massa de italianos no Rio Grande do Sul aconteceu dentro das grandes transformações sócio-econômicas, que o sistema capitalista de produção provocou no Ocidente durante o século XIX. A abundância de mão de obra na Europa e a carência crônica dela na América fizeram com que milhões de pessoas deixassem o Velho Continente em busca de trabalho no outro lado do Oceano.
            De 1900 em diante, especialmente a partir da década de trinta, a presença calabresa no Rio Grande do Sul, particularmente em Porto Alegre, foi acentuada. Eram comerciantes, artistas, agricultores, artesãos, soldados, todos, ao seu modo participando de uma história que começava a ser escrita com páginas de sofrimento, de trabalho, de fé, de sonho e também de aventura, sempre com a esperança de “ FAR LA MÉRICA”.
           A imigração urbana de italianos no Rio Grande do Sul representou 15% do total, constituída por indivíduos de múltiplas proveniências com forte sabor sulista. Porto Alegre é Um caso típico, em seus arredores, surgiu a colônia da Vila Nova com agricultores do norte da  Itália, mas na zona urbana foi marcante a presença do grupo de Morano Calabro, província de Cosenza.
          A distância da Calábria e o passar dos tempos, não foram suficientes para lhes subtrair a vontade de permanecerem calabreses.
          Os calabreses que vieram para o Rio Grande do Sul trouxeram consigo alguns pertences, pouco dinheiro, mas muita vontade de lutar e vencer. Trouxeram mais que a cultura de sua pátria a Itália, a cultura de suas regiões, províncias e comunas.
          Os calabreses mantêm um Centro Cultura onde a história e as tradições da pequena cidade calabresa situada aos pés do Monte Pollino, Morano Calabro, são lembradas, cultivadas e levadas as novas gerações.
          Morano Calabro, hoje é cidade Gêmea de Porto Alegre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário