quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Evento na Câmara Municipal: Somos Assim - Mulheres na arte, na sociedade e na cultura italo brasileira de Porto Alegre



 Somos assim - mulheres na arte, na sociedade e na cultura ítalo – brasileira de Porto Alegre.
 Siamo così – le donne nell'arte, nella società e cultura italo - brasiliana di Porto Alegre.

Programação:

dia 6 de março, quarta-feira - Abertura do Evento – Mostra com a presença das autoridades
> 19h: Inauguração do Evento com a Mostra de artistas ítalo-brasileiras e convidadas, com Curadoria de Emília Viero e Mara Caruso
> 20h: Coquetel.

> quinta-feira 7 de março:

> 10h: Abertura do Encontro “Diálogo- Café: Somos assim - mulheres na arte, sociedade e cultura ítalo cultura ítalo - brasileira de Porto Alegre”.

> Coordenadora da mesa: Ereci A. Mogetti (Vice presidenta da Associação)

·  > A valorização da mulher e seu papel nos centros de Cultura Italiana: Cláudia Antonini - formada em Comunicação Social, especialização no Ensino do Italiano e mestrado em Relações Públicas Europeias
·  > A participação da mulher na Política: Sofia Cavedon - Vereadora de Porto Alegre
·  > Educação e o Ensino de línguas: Joice Armani Galli (UFPernambuco – Via Internet) Professora. Dra. de Lingua Estrangeira ba Universidade Federal de Pernambuco
·  > A Arte e a Cultura: Zoravia Bettiol - Artista Plástica
>A mulher e a Imigração:  Incoronata Grosso - Leitora do Consulado de Porto ALegre


 12h e 30 min: break para almoço;

> 14h: últimas intervenções e encerramento do Diálogo- Café;
> 15h: Apresentação de uma seleção do vídeo do Concerto “Amiche per l'Abruzzo” produzido por Laura Pausini, Fiorella Mannoia, Gianna Nannini, Giorgia Todrani, Elisa Toffoli que viu a participação de38 cantoras incluídas aquelas acima mencionadas.
> Abertura da apresentação: Armando Traversoni – Presidente da Associação Cultural Itália – Porto Alegre

> 17h: Avaliação e Encerramento do Evento


Uma sugestão de Leitura:

A COMPREENSÃO DO SABER
FAZER COTIDIANO E A RESSIGNIFICAÇÃO DOS
PAPÉIS ENTRE MULHERES CAMPONESAS

      A dissertação de Mestrado de Fernanda Simonetti aborda como é a vida dessas mulheres camponesas e descendentes de imigrantes italianos e como as mesmas vêm adquirindo novos espaços dentro da sociedade através dos anos. Esse é um processo lento, mas que aos poucos vem se consolidando. Tanto que isso pode ser percebido no ganho da autonomia de algumas dessas mulheres com a venda de seus produtos e o ganho de seu dinheiro, conseguindo por vezes auxiliar nas despesas da casa junto com seu marido. A conquista de uma voz ativa dentro da família é outro item que merece ser destacado, isso demonstra uma sensível mudança dentro da estrutura de família patriarcal oriunda da Europa. Há décadas atrás a mulher não poderia expressar a sua opinião, pois tudo era feito por ordem paterna. Ressalto, porém, que muitas das características e valores que remetem aos primeiros imigrantes aqui chegados, ainda permanecem, como: a devoção ao trabalho, a religiosidade católica, a busca por uma família unida e até mesmo a alimentação típica que permanece presente tanto nas casas, como nas festas da comunidade. É preciso conceber essas mulheres como envoltas nestas características, mas que, ao mesmo tempo, têm buscado cada vez mais sua autonomia, sem abrir mão de seus valores


Dissertação: “MAMMA MIA”: A COMPREENSÃO DO SABER FAZER COTIDIANO E A RESSIGNIFICAÇÃO DOS PAPÉIS ENTRE MULHERES CAMPONESAS


 UMA SUGESTÃO DE FILME/DOCUMENTÁRIO:


O documentário Un Bacio su Cristo, il Santo su Pozzo terá estreia no dia 20 de abril em Caxias do Sul, no Centro de Cultura Ordovás Filho, às 18h30min. O filme foi gravado em novembro de 2011 nas cidades de Bento Gonçalves, onde foi lançado em 16 de março, e Garibaldi.
Un Bacio Su Cristo, il Santo su Pozzo, com duração aproximada de 12 minutos, retrata a história de Enrica Pasianot. Nascida na Itália em 11 de novembro de 1911, vivenciou os horrores da 1ª Guerra Mundial, na qual seu pai era soldado. Presenciou a ascensão de Mussolini e Hitler, os pactos entre a Alemanha Nazista e Itália Fascista e o sofrimento do povo com as chamadas ‘limpezas étnicas’, fato paralelo ao efervescente processo de industrialização da Europa.
Em 1918, o pai de Enrica foge da Itália para a Argentina. Em 1927, Enrica, junto à mãe e irmãos, vem para o Brasil, a pedido do pai, que já havia se instalado no país. Moraram em Cotiporã e, atualmente, Enrica reside em Bento Gonçalves.
O lançamento em Bento Gonçalves levou cerca de 300 pessoas para Fundação Casa das Artes lotada, em 16 de março. O evento contou com a presença da própria Enrica e seus familiares, além do cônsul da Itália em bento.


Filmes italianos abordam imigração no Festival de Veneza

Exibido na competição, "Terraferma" critica repressão no governo de Silvio Berlusconi

A imigração na Itália é um tema importante no Festival de Veneza 2011, com vários filmes domésticos assumindo uma visão crítica sobre como as autoridades do país e o povo italiano estão lidando com uma onda crescente de recém-chegados.

A questão não poderia ser mais atual em um ano em que dezenas de milhares de imigrantes ilegais, fugindo dos distúrbios políticos no norte da África e da guerra civil na Líbia, chegaram na Itália e em que outras centenas se afogaram no mar.


"Terraferma" (ou Terra Firme), do diretor Emanuele Crialese, explora como as vidas de um pescador e sua família em uma ilha remota na costa da Sicília é transformada quando ele resgata uma etíope grávida do mar e a esconde em sua casa.

Foto: Divulgação
Em "Terraferma", pescador resgata africana grávida no mar italiano
O filme, que está na principal competição do festival, fala de uma história ficcional e não identifica a ilha, mas seu elenco inclui uma ex-imigrante que sobreviveu à perigosa jornada no mar e a história poderia facilmente se passar em Lampedusa – um pedaço de terra italiano que vem suportando o peso dos refugiados da Tunísia e Líbia.



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Exposição de arte de Maria Lúcia Sandri


Exposição de arte de Maria Lúcia Sandri no Café do Porto - Padre Chagas 293 - Moinhos de Vento
De 19/02 a 04/03 Horário: das 8:00 às 23 horas.

                    A Noiva

A temática A Noiva é a representação simbólica do momento em que o homem reconsidera a sua existência e passa a ter uma vida de intimidade com o seu criador.
A obra é inspirada no Livro de Cantares onde a noiva, em cada detalhe se prepara para o banquete: o Noivo espera ansioso o encontro com a noiva.



Cada adorno, as cores selecionadas, tem uma profundo significado que leva o apreciado à uma introspecção.

A obra como um todo é uma sequencia do preparo da noiva.

A opção pelas cores preto, branco e vermelho foi para enfatizar a pureza, a graça e a completa ruptura com o momento anterior, do qual, o único que leva é o afeto, representado na figura do pequeno poodle.

A mostra é composta por 7 obras figurativas, em acrílico sobre tela, de dimensões 80x80cm em sua maioria .

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Fortunati recebe Cláudia Antonini e Associação Cultural Itália - Porto Alegre


Fortunati recebe candidata ao parlamento italiano

22/02/2013 16:35:28

Foto: Cristine Rochol/PMPA
Claudia Antonini (E) apresentou ao prefeito suas propostas caso seja eleita
Claudia Antonini (E) apresentou ao prefeito suas propostas caso seja eleita
O prefeito José Fortunati recebeu nesta sexta-feira, 22, a única candidata gaúcha ao parlamento italiano. Claudia Antonini concorre a uma das quatro vagas de deputado na seção América do Sul. Claudia participou de audiência com o prefeito junto com o presidente da Associação Cultural Itália-Porto Alegre, Armando Traversoni. A candidata apresentou ao prefeito suas propostas caso seja eleita deputada. Ela falou sobre a necessidade de fortalecer os consulados do Rio Grande do Sul, devido à forte presença de descendentes no estado, e também de desenvolver projetos educacionais como intercâmbios estudantis, acordos para o reconhecimento de diplomas e o estímulo às parcerias entre universidades. “Enquanto eles tem um alto índice de desemprego entre os jovens, por outro lado a formação técnica do ensino médio é excelente. Nós precisamos incentivar essa troca de conhecimentos, não só no ensino superior”, disse Cláudia.

A votação encerrou no último dia 21 de fevereiro. Todos os brasileiros com cidadania italiana tem o direito de votar nas eleições da Itália enviando a cédula até o consulado. O prefeito Fortunati parabenizou Cláudia pelo trabalho e destacou a importância de estreitar laços com a Itália. “A cultura italiana está muito presente, muito viva no nosso estado por meio dos imigrantes e descendentes de imigrantes. E nós valorizamos muito essa diversidade de etnias que compõe a história do Rio Grande do Sul e a história de Porto Alegre. Devemos manter relações estreitas com a Itália não só para preservar essa cultura, esse legado, como também para estimular a troca de informações, de conhecimento, os negócios, e dar suporte aos brasileiros que também são cidadãos italianos” disse o Fortunati.


/relacoesinternacionais
Texto de: Melina Fernandes
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Conversações em Italiano voltaram à Usina do Gasômetro

Com a finalidade de difundir o conhecimento da cultura e da língua italiana, a Associação está realizando “Conversações em Italiano”, todas as quartas-feiras, a partir do dia 13 de março, às 14:30, na sala 505 da Usina do Gasômetro, principal Centro Cultural do município de Porto Alegre.


A experiência, desenvolvida desde 2008, amplia a parte dedicada à atualidade, à leitura e à expressão dos participantes; visando conhecer a língua e cultura italiana através dos focos do turismo, da gastronomia, da literatura, música, lirica, cinema e teatro. Desenvolvendo uma articulação que possa aproximar expressões da linguagem típica da literatura, da lirica e do teatro italiano; trocando experiencias com os integrantes da Usina das Artes.

Os encontros serão mantidos por voluntários de língua madre italiana, formados e estagiários da UFRGS, em colaboração com a Usina do Gasômetro e o “Istituto Italiano di Firenze”. Entrega de Certificados no encerramento do ano e sorteio de Bolsas de estudos em Florença.
Assim estes encontros são uma das formas para a transmissão dos valores da cultura nas suas diversidades, como um bem para a pessoa, absorvendo a função social de maturação e crescimento humano e civil, através do ideal de educação permanente.

Para saber mais, clique:


Giorgio MORANDI em Porto Alegre

  A Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre (RS), apresenta em sua sede, a Exposição: "Giorgio Morandi no Brasil", dedicada ao Mestre Italiano Giorgio Morandi (Bologna, 1890 - 1964).
La Fondazione Ibere Camargo, di Porto Alegre, presenta nelle sue sale, l'Esposizione "Giorgio Morandi in Brasile", dedicata al maestro italiano.
  Foto de Morandi, na Fundação Iberê Camargo
Gigantografia di Morandi nella Fondazione Ibere Camargo
          A Mostra estará à disposição do público de 30 de novembro de 2012 a 24 de fevereiro de 2013, oferecendo um conjunto de obras do renomado artista, considerado um dos maiores pintores do século XX. São 40 pinturas e 15 gravuras, que contribuem para o entendimento de sua obra.
La Mostra sarà aperta al pubblico dal 30 novembre al 24 febbraio 2013, offrendo un insieme delle opere del rinomato artista, considerato uno dei maggiori pittori del XX secolo. Sono 40 dipinti e 15 incisioni, che contribuiscono alla comprensione della sua opera.

Natureza Morta, óleo sobre tela, 60 x 508 cm
Col. Eni S.p.A Patrimônio Artístico.
Natura Morta, olio su tela.
Coll. ENI S.p.a. Patrimonio Artistico

A Curadoria realizada por Alessia Masi e Lorenza Seleri é belíssima e tem o carinhoso gesto histórico ao recriar a "Sala Especial" dedicada a Giorgio Morandi na IV Bienal de São Paulo, em 1957. Aquela Mostra contribuiu significativamente na História da Arte Brasileira, pois influenciou varios artistas, como o próprio Iberê Camargo.
La realizzazione di Alessia Masi e Lorenza Seleri è bellissima e ha un affettuoso gesto storico nel ricreare la "Sala speciale" della IV Biennale di San Paolo del 1957, a lui dedicata. Quella Mostra contribuì significativamente alla Storia dell'Arte Brasiliana, poiché influenzò vari artisti, come lo stesso Ibere Camargo.


Morandi selecionava meticulosamente os modelos para suas composições e muitas vezes os "vestia", pintando-os com diferentes cores. Eram vasos, garrafas, tigelas, flores artificiais e também paisagens, todos  analisados profundamente, com diferentes efeitos de luminosidade, observando acuradamente suas formas e volumes, no espaço.
Morandi selezionava meticolosamente gli oggetti per comporre la natura morta e molte volte li "vestiva", dipingendoli di differenti colori, Erano vasi, bottiglie, scodelle, fiori artificiali e anche paesaggi, tutti analizzati profondamente, con differenti effetti di luminosità, osservando accuratamente le forme es i volumi, nello spazio.
Natureza morta, óleo sobre tela, 31,8 x 43,7 cm.
Coleção Museu Morandi, Bologna.
Natura Morta, olio su tela.
Collezione Museo Morandi di Bologna.

                                                 
Entre 1913 e 1929 foi professor em algumas escolas primárias, ensinando desenho geométrico.
Em 1930 foi-lhe oferecido o cargo professor de gravura na Academia de Belas Artes de Bolonha, que manteve até 1956.
Tra il 1913 ed il 1929 fu professore in alcune scuole insegnando disegno geometrico.
Nel 1930 gli venne offerta la cattedra di professore di incisione presso l'Accademia di Belle Arti di Bologna, incarico che mantenne fino al 1956.


Fiori in un vasetto bianco, 1928
24,7 x 16,5cm - Gravura em zinco
Col. Museu Morandi - Bologna.
Flores num pequeno vaso branco, 1928
Incisione su zinco. Collezione
Museo Morandi di Bologna




A sua paixão por gravuras, realizadas com tanta cuidado, é caracterizada por traços sutis e retilíneos, em texturas complexas, com as quais atinge perspectivas equilibradas. 
La sua passione per le incisioni, realizzate con molta cura, è caratterizzata da un tratto sottile e rettilineo, con un tessuto complesso con il quale raggiunge prospettive equilibrate.   
Fiori, 1957 - 22,5 x 28 cm,
Coleção Enos Ferri

    

Paesaggio, 1936 - 53,5 x 67 cm
Col. Galeria Nazionale d'arte moderna e
 contemporanea, Roma

DOCUMENTARIO:

Trailer per il documentario di Mario Chemello "La polvere di Morandi",
 incentrato sul grande pittore bolognese Giorgio Morandi. 
Musiche trailer: Paolo Ferrario.

Questo ha sottotitoli in portoghese:






Curiosidades:
- Em 2009, O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, escolheu dois quadros de Morandi para fazerem parte da Coleção da Casa Branca.

- Morandi via o mundo da cinematografia com bons olhos e mesm sem ocupar-se do tema, teva contatos com Vittorio de Sica, Luchino Visconti, Valerio Zurlini, com o qual manteve intensa correspondência.60 

- Nos anos 60, a figura de Giorgio Morandi recebeu ronovada atenção e admiração, por parte de muitos intelectuais italianos. Exemplo disso foi a utilização intencional de seus quadros, mostraonedos ao fundo de cenas importantes de obras primas do cinema italiano: "La notte", de Michelangelo Antonioni e "La dolce vita", de Federico Felini. Além de uma cena de "Accattone", de Pier Paolo Pasolini e "Capricci", de Carmelo Bene, que segundo afirmação dos dois intelectuais, foram inspiradas em pinturas de Morandi. 
- A Produtora cinematográfica Tacita Dean filmou o interior da casa do Mestre Morandi, na Via Fondazza 36.


Lei de Incentivo à Cultura

Patrocínio: Gerdau, Itaú, Vonpar
Apoio: Museu Morandi
Realização: Ministério da Cultura - Brasil



  Armando Traversoni diante da isntalação fotografica
do Estudio  de Morandi
Ere Mogetti no interior daFundação Iberê Camargo

Texto: Ereci A Mogetti
Trad. e Fotografias: Armando Traversoni

Fontes de Pesquisa:
Catálogo: Giorgio Morandi no Brasil Fundação Iberê Camargo, 2013                   

    http://it.wikipedia.org/wiki/Giorgio_Morandi

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Il dolore maggiore


Alcune settimane or sono s'è consumata una tragedia che ha sconvolto il Brasile, il Rio Grande do Sul, la città di Santa Maria. La morte di centinaia di giovani nel rogo del locale notturno “Kiss” è stata divulgata dai notiziari di tutto il mondo.
La mancanza di controlli ed autorizzazioni, l'assenza di verifiche degli impianti d'estinzione e delle uscite di sicurezza ha introdotto un ampio dibattito che, per la verità, già si sta affievolendo. Come sempre le vittime hanno pagato per l'incuria, l'irresponsabilità e l'avidità di persone e istituzioni. Il timore è quello di sempre, che alla fine pagheranno solo i deboli.


IL DOLORE MAGGIORE

Forse non esiste dolore maggiore al mondo che la perdita di un figlio. Quanto più se questa creatura è all'auge della propria vita. Le due prime decadi, sono di seminatura. Ogni gesto, ogni nostra cura prestata hanno come conseguenza questo momento, in cui questi ancora bambini mettono le ali e se vanno determinando i loro propri passi. Questa autonomia realizza il miracolo della continuazione della vita o ciò che intendiamo come eternità. I figli rappresentano la continuità, la nostra semina dando frutti. Perché la tragedia ha sconvolto anche negli angoli più lontani la vita dello Stato proprio nell'istante in cui i loro passi si riempivano di luce propria. Pertanto, niente è più brutale, niente è più infinitamente stupido di ciò che è successo (n.d.t.: a Santa Maria).
L'unica differenza è l'intensità del dolore, per il resto, tutti, rigorosamente tutti noi ne siamo coinvolti. Il Brasile è da cinque secoli una società debole. Costruita con lo sfruttamento. Non solo dello sfruttamento straniero, ma di quello che si è insinuato nei compatrioti brasiliani. Per secoli il Brasile è stato prosciugato delle materie prime, per poi pagare quella ricchezza generata e a cui scioccamente, ci si è curvati. È stato così con tutto l'argento che c'era nelle città che già esistevano, prima d'essere scoperte dagli europei. Il feudalesimo stava arrivando alla sua fine ed è stato con la ricchezza del nuovo mondo che s'è instaurato il capitalismo. Con l'oro s'è arricchita l'Inghilterra; con l'argento la Germania, l'Olanda e la Francia. Dopo, la coltivazione della canna da zucchero ha trasformato la foresta in deserto. In sequenza le piantagioni di cacao. Che hanno portato schiavi perché lo piantassero. Cambiavano i venti e cadevano i prezzi, lasciando sui margini delle strade e dei fiumi rinsecchiti migliaia di schiavi. I dominatori decimarono milioni di indigeni, nel traffico negriero uccisero altri milioni di africani, ad ogni ciclo economico erano condannati milioni di lavoratori schiavi. Finché arrivò il caffè a liquidare una volta per tutte la foresta atlantica brasiliana. Così i capitalisti, finanziati da queste ricchezze, regolate da loro, continuarono dettando le norme. Allora divenne necessario creare mercati per rispondere alla domanda dei paesi industrializzati. Frattanto al Brasile, come ad altri paesi, era proibito pensare di produrre qualsiasi altro tipo di alimento, qualsiasi altro tipo di ricchezza, se non quella che genera dipendenza.
Il dolore che si sta vivendo è il dolore di una società debole, permanentemente sfruttata, senza il valore della vita. Questa è la questione. La fretta ora di punire i deboli è perché non cada la maschera, perché non si guardi là in cima.
Che questi angeli temerari, che se ne sono andati in questo modo difficile da accettare, possano illuminare le menti, non solo per punire i più sfavoriti, ma perché si possano promuovere mutamenti profondi e definitivi in questa nostra società codarda.



Parzialmente e liberamente tratto da una colonna del giornale “Correio do Povo”
di sabato 2 febbraio 2013.
Foto tratte da: urbanchristiannews.com, thetimes.co.uk, en.wikipedia.org