domingo, 26 de janeiro de 2014

Dia da Memória em Milão - 2014

Milão recorda as vítimas do Holocausto com Visitas guiadas ao Binário 21
Foto: Corriere della Sera

 Um longo muro, cor de carvão, onde está escrita a palavra “Indiferença”, em letras maiúsculas e grandes, é o que o encontra o visitante que entra no Memorial. A “Indiferença, realmente é “A quintessência que tornou possível o Holocausto”, como repete Liliana Segre, uma das pouquíssimas sobreviventes das deportações, nos encontros com alunos de escolas públicas.



Assista o vídeo:
Testemunho de Vera Vigevani Jarach

 O Memorial - está dividido em cinco partes, este imenso espaço - 7000 metros quadrados no subterrâneo  da estação central - que os designers têm trazido de volta à sua aparência original, com as estruturas de suporte de vigas de concreto armado. O primeiro é o átrio e a recepção de visitantes, e a terceira parte abriga exposições permanentes, o quarto, o destino desconhecido Plataforma, com alguns carros de frete em que foram amontoados impiedosamente prisioneiros. Finalmente, o Muro de nomes, onde lembramos os deportados a partir da Estação Central.

No final do caminho, o lugar de reflexão. A ideia de trazer à tona a linha 21, um lugar de terror do final de 1943 até o início de 1945, quando as linhas subterrâneas formadas por esses 15 vagões, carregados com a humanidade sofredora e exausta, levada à morte nos campos de extermínio nazistas . É uma tarefa imensa, que tomou forma nos últimos anos, graças à Fundação para o Memorial ao Holocausto. Essa abertura, há um ano, foi enriquecida com um Auditório e uma Biblioteca sobre o evento.

A Programação - domingo e segunda-feira na abertura extraordinária ao público, participarão os guias Stefano Jesurum e Gad Lerner, Raffaele Morelli e Natalia Aspesi, o Prefeito Giuliano Pisapia, o editor do Corriere della Sera, Ferruccio de Bortoli, Joel Dix, Mauro Moretti e Lella Costa.

Fonte: http://milano.corriere.it/milano/notizie/cronaca/14_gennaio_26

Nenhum comentário:

Postar um comentário