quinta-feira, 19 de abril de 2012

Hanamatsuri - Porto Alegre - Festival das Flores‏

Durante Hanamatsuri em Porto Alegre, no próximo final de semana, acontece o Abraço ao Guaíba e a comemoração ao nascimento de Siddharta Gautama, o Buda Shakyamuni, que foi criada em 8 de abril de 566 A.C., e se espalhou pelo mundo.


 Neste ano, na capital gaúcha, o festival acontece dias 21 e 22 deste mês, na Usina do Gasômetro, e é realizado pelo Centro de Estudos Budistas Bodisatva e pelo Jisui Zendô Sanga Águas da Compaixão, com apoio da Associação Gaúcha de Proteção do Ambiente Natural (AGAPAN), Movimento de Cicloativistas, Massa Crítica, Clube Náutico Veleiros do Sul e Prefeitura.

Durante os dois dias de evento, entre 10h e 19h, várias atividades, com palestras sobre temas relacionados à educação pela paz, sustentabilidade e cuidados com o ambiente. A solenidade de abertura será no sábado (21/4), às 10h, no palco principal da Usina, com palestra da Monja Isshin, sobre “O simbolismo do Hanamatsuri na cultura japonesa e sua inserção na cultura do RS”, e com Lama Padma Samten, sobre “A vida de Buda”. À tarde, às 16h, está previsto o Abraço ao Guaíba, com expectativa de ampla participação de ambientalistas, movimentos sociais e comunitários, representantes de ONGs, estudantes, autoridades e público em geral. No domingo (22/4), Dia Mundial do Planeta Terra, também às 10h, acontece Cerimônia inter-religiosa de Cura do Meio Ambiente, com saída para um passeio ciclístico.

O presidente e o conselheiro da Agapan, Francisco Milanez e Celso Marques, farão um bate-papo no sábado (21), a partir das 15h, sobre a história do movimento ambiental no RS, a realização da Rio+20, as alterações propostas pelo novo Código Florestal, que deve ser votado pelo Congresso Nacional no próximo dia 24, e a história Tomada ou Subida da Chaminé do Gasômetro, em 1988, por ambientalistas da Agapan, contra a construção de prédios junto à Orla do Guaíba. Em seguida, acontece o Abraço ao Guaíba.

Para o Festival das Flores estão previstas apresentações de Taiko (tampores japoneses), oficinas de origami, ikebana e exposição e comercialização de artesanato, bonsais e pratos típicos orientais. Haverá ainda espaços de meditação, de curta com Shiatsu e de divulgação da cultura japonesa, tibetana, gaúcha, negra, indígena e andina.
Foto do site Magia Oriental

Hanamatsuri significa “festa das flores” nome dado por causa da história do nascimento de Buda. Conta-se que logo após nascer, o pequeno Buda deu sete passos para cada uma das quatro direções (norte, sul, leste e oeste) e, apontando para o céu disse “Neste Universo, Eu vim para purificar as mentes confusas de todos os seres”. Enquanto caminhava, flores de lótus brotavam da terra tocada por seus pés.

Programação
Usina do Gasômetro
21 e 22 de abril de 2012
A abertura oficial será no dia 21 de abril, com a seguinte programação:
10h00 - Solenidade de Abertura
11h00  -  Cortejo Hanamido, procissão com o Pequeno Buda, com a participação de crianças vestidas com trajes típicos.
               - Cerimônia inter-religiosa de nascimento do Buda Shakyamuni e Kambutsu-e (banho de chá adocicado no Pequeno Buda)).

Palestras:
- “O simbolismo do Hanamatsuri na cultura japonesa e sua inserção na cultura do Rio Grande do Sul.” Monja Isshin Havens (Jisui Zendô – Comunidade Soto Zen do Sul)
- “A vida do Buda”, Lama Padma Samten (CEBB – Centro de Estudos Budistas Bodisatva)
- “Conselhos para Tempos Difíceis”, Chagdud Khadro (Chagdud Gonpa Brasil)
- “Os processos de reconstrução externos e internos dentro da cultura japonesa.” Professor Rev. Joaquim Monteiro.
- “A Cultura Andina – A história de um povo que aprendeu a transformar a opressão em sabedoria e compaixão” José Antarki.
- “Panorama histórico do movimento ambiental no Rio Grande do Sul.” Celso Marques e Cicloativistas Porto Alegre.
- “Diálogos Inter-religiosos” Apresentação da visão e das ações de cultura de paz de cinco tradições religiosas.


Apresentações:
- Taikô (Grupo Wakaba Taikô, da Associação Cultural e Beneficente Nipo-Brasileira de Curitiba)
- Odori jovem: coreografias com a participação do público
- Yosakoi: Taikô e Coreografia
- Artes Marciais (Hapkido, Muay Boran, Haedong Kumdo)- Cosplay
- Danças tradicionais japonesas (Fujinkai de Porto Alegre)
- Sarasvat (Grupo de Mantras Indianos)


Exposições e estandes:
- Fotografia: “Crianças do outro lado do mundo”: crianças do Nepal, Índia e crianças Tibetanas de Dharamsala; Ilka Filippini
- Fotografia: “Bomba de Hiroshima” – Memorial da Imigração e Cultura Japonesa-UFRGS
- Bonsai (Associação de Bonsai do RS)
- Orquídea
- Govinda (Roupas Indianas)
- Massoterapia
- AGAPAN (Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural)
- JISUI ZENDÔ (Comunidade Soto Zen do Sul)
- CEBB (Centro de Estudos Budistas Bodisatva)


Oficinas:
- Shodô: Caligrafia japonesa, com o Prof. Hiroshi Suganuma (Memorial da Imigração e Cultura Japonesa do RS)
- Furoshiki com Tomoko Sensei (Memorial da Imigração e Cultura Japonesa-UFRGS)
- Artes Marciais (Hapkido, Muay Boran, Haedong Kumdo)
- Desenho e Pintura Tibetana com o artista nepalês Singa
- Origami com Professora Orlana
- Kirigami
- Graffiti (ministrada pelo Coletivo 07)


Filmes:
Tempo de Espera, Tempo de Vipassana, 52min, India/Israel (1997).
Direção: Eilona Ariel, Ayelet Menahemi


O filme relata uma experiência ocorrida no Presídio de Tihar, Nova Déli, 1993 e em diversas prisões da India, com aplicação da técnica de Meditação Vipassana, com o intuito de abrandar o sofrimento dos presos, que obtiveram resultados significativos para suas vidas e para o convívio com a realidade da prisão, tornando-os pessoas mais positivas para o retorno à sociedade. O filme demonstra como a prática da meditação silenciosa e da auto-observação pode auxiliar a uma melhor compreensão de si-mesmo e da realidade ao seu redor, melhorando a qualidade de nossas vidas e de todos que convivem conosco. A técnica acabou por levar ao quase aniquilamento da reincidência, corrupção e uso de drogas nos presídios onde está funcionando. Em razão do sucesso imediato, foi estendida aos funcionários do estabelecimento e proporcionou a proliferação de cursos periódicos em uma área especialmente criada para reflexão. A transformação modelar da prisão Tihar, nos últimos 13 anos da experiência, acabou fazendo-a referência para outros presídios indianos. Vencedor dos Prêmios Golden Spire – Festival Internacional de Cinema de San Francisco, 1998 e Prêmio Finalista Festival de Cinema de Nova York, 1998.

Documentário SOU, 26min, Brasil/RS, 2010.
Direção: Andreia Vigo
O documentário SOU é um registro histórico-poético sobre a identidade afro-gaúcha, tendo como base a vida e a obra do poeta gaúcho Oliveira Silveira (1941-2009). Oliveira também é conhecido como o poeta da Consciência Negra, por ter sido um dos idealizadores da proposta de criação do 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra.


Gastronomia:
- Yakissoba
- Temaki / Sushi
- Harumaki / Gyoza
- Frango Xadrez
- Yakimeshi
- Produtos Vegano
- Doces

Organizadores
Centro de Estudos Budistas Bodisatva (CEBB) (www.cebb.org.br)
Jisui Zendô (Sanga Águas da Compaixão)
Local: Usina do Gasômetro, Porto Alegre-RS
Data: dias 21 e 22 de abril de 2012
Entrada franca

Nenhum comentário:

Postar um comentário